Monday, June 05, 2006

Ojeriza Ao Ressentimento


o grande nietzsche afirma ao longo de sua obra, especialmente em "humano demasiado humano", q o ser humano tem q passar por cima, vencer o sentimento q o impele, por pura vaidade, a concordar ou ser piedoso com quem não merece. essa superação da noção de "ressentimento" faz parte do caminho q o "super-homem" tem q percorrer. a bem da verdade é quase o caminho todo... (q o diga raskolnikov!)
esse conceito confunde-se mais tarde, ou funde-se, com a idéia de "superego" tal como apresentada por freud, ou seja: a idéia q nós fazemos do q os outros possam pensar de nós... um tipo de freio psicológico!superego ou super-homem, o fato é q a maioria das pessoas, mesmo as interessantes, entregam-se muito facilmente a tal comodidade emocional e invariavelmente vêem-se a concordar com, ou a deixar passar, alguma impropriedade(comportamental, moral, intelectual, etc.) pelos mais variados motivos...( sinceramente acho q só motivos sexuais, esse atavismo, são justificados... e mesmo assim desde q não haja reincidência). de resto, não há pq ter q ficar ouvindo e vendo imbecis falando e fazendo abobrinhas, disfarçando suas intenções mor do tempo ou constrangedoramente expondo-as por momentos...e ainda há quem culpe as convenções sociais ou algo q o valha... nananinha... é como culpar as novelas ou a propaganda política pelos resultados na nossa triste realidade. (na verdade nunca esteve tão bem, mas qto a isso não se pode contentar com pouco, o brasil tem óbvia capacidade pra muito mais).
voltemos ao tema, dizia q se há um culpado nisso tudo somos nós, o q nos foram, e o q podemos ser...portanto, se olho torto ou solto alguma "direta"(na verdade dava vontade de soltar um "direto") pra alguém depois de um ato chulo, de uma pergunta imbecil ou de um comentário despropositado é por pura coerência filosófica(por mais q eu odeie essa palavra e derivações), diria até q é por apreço à estética e à inteligência. bah, dar uma resposta inesperada e mal-educada pra alguém é algo q sempre gera alguma polêmica momentânea, mas rapidamente se dilui junto com um celular q começa a tocar uma campainha imitação da música do latino... é um murro, mas é um murro n'água.
a vida é curta, o dia é curto, a noite passa voando... q esses momentos tão valiosos sejam gastos com quem e com o q realmente gostamos... eu meio q faço isso, digo certas verdades desconfortáveis, encaro uns negos folgados e sou tachado de estúpido e mal-encarado, chamam minhas namoradas de "a próxima vítima" e o pessoal do meu instituto diz q lá apesar de mim há gente normal. tou reclamando mas no fundo eu até gosto... quem é escravo das necessidades é bicho, gente é escrava da sua vontade...e como em dostoievski, efetivados ou não os nossos desejos, sempre haverá culpa, incompreensão e a inevitável angústia.só nos resta, a nós(os q se importam e portanto fazem), o gostinho final de saber q foi feita a coisa certa... e com vontade!
sinto q o mês presente me assassina...
Pedro Furtado

6 Comments:

Anonymous Natália said...

OI Pedro:
Duas coisas, uma que a concordo plenamente q nao devemos deixar passar aquilo q é ruím. Aquele alguém q pisou no nosso calo ou que tocou a musica estupida do latino e tals. Mas como é que eu poderia aprender um monte de coisa com um cara tão estranho e interessante como vc se eu não esquecesse que um dia vc me deu mó forão ou q antes deu te conhecer eu te achava o ó do borogodó, enfim...
Tudo na vida tem uma musiquinha do latino ao mesmo tempo q aquela japinha de nariz grande e cinta liga faz uma puta strip tease, entende o que eu quero dizer?
Então foda-se muito se eu perdoei quem não merecia na minha vida, foda-se muito se vão pisar na minha cabeça de novo, o que eu tenho pra dar não acaba, e o que eu tenho pra aprender não pode esperar.
Beijão.

8:11 PM  
Anonymous tatuh said...

fala pedrão, como cê tá, velho amigo? o que tem feito? encontrei o evandro em campinas e ele me disse que vc foi pra sampa faz um tempo... bom, to em jacareí, ainda no ostracismo... :-)
um abração

1:04 PM  
Anonymous supostavida said...

Mas, eu fico pensando... será que existe uma verdade?
quem, desses amantes teóricos colocaram alguma coisa em prática? me fascino por todas essas teorias, e sinceramente queria que elas existem também fora do papel.
mas, um espirito revolucionario hj, corre grande risco de nao ser nem notado.
entao eu fico pensando...
será mesmo, que existe uma verdade única?
nao acredito que nem Nietzsche, nem Freud, nem você, sao donos dela.
cada um é dono da sua própria verdade.

2:24 PM  
Blogger maria Pedro said...

e nós aqui a perder tempo.

2:44 PM  
Blogger Wladimir said...

Falei na terapia que era uma honra ter um inimigo como você.

6:58 PM  
Anonymous David said...

Pedrão!
Sim! Isso (Nietzsche) q é uma verdadeira profissão de fé!
Tento segui-la também...
Abração!

PS pra 'supostavida': essas coisas existem fora do papel sim. Nós é que as colocamos em prática... assim, a vida deixa de ser apenas.. suposta...

9:54 AM  

Post a Comment

<< Home